O marketing selvagem dos adversários e o marketing morno de Marina

Neste bendito dia, de rotina chata, monotonia, trabalho, muitas as vezes em troca de míseros reais, muita gente ouviu e viu a candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, afirmar que seus adversários fazem “marketing selvagem” contra ela.

Marketing selvagem, não, Marina, marketing esperto contra o marketing morno de sua campanha. Explico.

Quando aconteceu os escândalos envolvendo grande parte da base governista, achei que seus marqueteiros iam aproveitar a situação para deixar a candidata Dilma e seus adversários na defensiva.

Marina Silva: Marketing Selvagem
Marina Silva e marketing selvagem nas eleições presidenciais de 2014

Mas não foi isso que aconteceu.

Esperta como é, Dilma conseguiu apagar, com um copinho de água, o incêndio causado pelos escândalos da Petrobrás, envolvendo membros da base aliada, conforme noticiado na imprensa.

Mais do que isso: Dilma passou a acusar Marina de querer acabar com os programss sociais do governo, com projetos de infraestrutura e de não explorar o pré-sal. Consequentemente, causaria o desemprego de milhões de brasileiros, tirando recursos da educação, blá blá blá… Continue lendo

Bookmark and Share

Saiba porque o escritor e educador Rubem Alves é tão importante para o Brasil

Rubem Alves
Foto reprodução da Internet

É inegável em todo o território nacional a contribuição dada pelo escritor Rubem Alves a educação. Autor de mais de 120 títulos, entre os quais obras infanto-juvenis como como ‘A árvore e a aranha‘, ‘A pipa e a flor‘ e ‘A Menina e o pássaro encantado‘.

No ano de 2011, o escritor mineiro, natural de Boa Esperança, onde nasceu em 15/09/1933, deu uma entrevista ao Portal Brasil, onde falou de temas importantes:

Escola ideal

A escola ideal deve ser um ambiente onde professores e alunos trocam conhecimento. “Essa ideia do professor ir lá dar uma aula, ficar na frente, os alunos copiando, isso não existe. Os professores são companheiros dos alunos, não tem nota, nota é uma inverdade porque aquilo que o aluno produz numa prova, não revela o que ele pensa”, ressaltou.

Continue lendo