Combate a osteoporose em homens no dia mundial da doença

Combate a osteoporose - imagem da doençaCombater a osteoporose principalmente no sexo masculino é o foco da campanha internacional “Ame seus ossos”, pelo Dia Mundial da Osteoporose, nesta segunda-feira (20). A doença se caracteriza pelo enfraquecimento dos ossos e acomete principalmente os mais velhos. São centenas de casos de fratura de quadril em idoso, registrados em hospitais.

Essa é uma iniciativa da Fundação Internacional de Osteoporose (IOF em inglês), que conta com o apoio global de diversas instituições.

Segundo informações divulgadas pela fundação, em outubro, um terço de todas as fraturas de quadril no mundo ocorrem em homens, com taxa de mortalidade até 37% no primeiro ano após a fratura, portanto duas vezes mais que a de mulheres. Isso ocorre, mesmo com uma proporção de incidência de casos em mulheres superior à dos homens –  um em cada três casos, a partir dos 50 anos. Entre o sexo masculino, a proporção é de um homem em cada cinco casos. Estes fatos mostram a importância da campanha de combate a osteoporose focar mais no sexo masculino.

Além disso, o relatório Fundação Internacional de Osteoporose mostra ainda que de 1950 a 2050, o número de homens com 60 anos ou mais – o grupo etário de maior risco de osteoporose – deve aumentar dez vezes.

Para o chefe do Departamento de Medicina Interna do Instituto Nacional do Câncer, Salo Buksman, que atende muitos casos de homens em estágio avançado da doença, a campanha é muito relevante para garantir o tratamento antes da primeira fratura.

“Os homens, a sociedade em geral e mesmo os médicos têm um conceito equivocado de que a osteoporose é uma doença feminina. Há muitos homens com osteoporose, sobretudo depois dos 70 anos”, comentou. “Como o indivíduo não é ciente desse fato, não busca o diagnóstico e só fica sabendo que tem a doença depois da primeira fratura”, destacou Buksman, ao lembrar que a osteoporose é uma das principais causas de quedas e fraturas em idosos, disse para a Agência Brasil.

O ortopedista esclareceu que homens com mais de 70 anos devem fazer o exame de densitometria óssea, que detecta a osteoporose, pelo menos uma vez. “Mesmo os homens mais jovens devem fazer o exame se tiverem determinados fatores de risco, como o uso de cortisona, determinados hormônios, remédios anticonvulsivantes”, comentou. O tratamento consiste basicamente em ingestão de cálcio, vitamina D e outros remédios de combate à doença.

De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, João Bastos, o risco de osteoporose em homens é 27%, enquanto o de câncer de próstata é 11%, doença mais alardeada em campanhas voltadas para os homens. As formas de prevenção valem para ambos os sexos.

Combate a osteoporose

Referindo-se ao combate a osteoporose, o Dr. João Bastos forneceu dicas que estão ao alcance de qualquer pessoa:

“A atividade física, alimentação adequada na infância e adolescência, evitar o tabagismo e a ingestão excessiva de bebida alcoólica são alguns dos fatores importantes para a qualidade do osso formado ao longo da vida, o que contribui para diminuir o risco de osteoporose na vida adulta e velhice”.

Vírus ebola - obama falando sobre

Vírus ebola : não caiam em pânico ou histeria, pede Obama

Vírus ebola motiva discurso de Obama

Achei tranquilizadora a mensagem do presidente dos Estados Unidos,  Barack Obama, sobre o vírus ebola. Ele discursou neste sábado (18), visando tranquilizar as pessoas e minimizar o alarme social, gerado pelos dois primeiros infecções de Ebola no país. Disse que o país está “pronto” para evitar surto no seu território.

“Nenhum país está mais preparado para enfrentar o desafio do Ebola do que os Estados Unidos. Temos apenas um único caso aqui em casa. Não estamos enfrentando um surto de a doença “, Obama quis deixar claro.

O presidente disse para as pessoas ” não cair em pânico ou histeria ” porque é muito difícil alguém se contaminar com ebola. Lembrou mais uma vez que o ebola nos Estados Unidos  “não é um surto ou uma epidemia”.  “Somos uma nação de mais de 300 milhões de pessoas e, até o momento, vimos três casos de Ebola diagnosticados aqui. O homem que contraiu a doença na Libéria veio aqui aqui e, infelizmente, morreu. Além dele, houve o caso de duas enfermeiras corajosos que foram infectadas enquanto o tratavam”.

Aprendendo com os “erros”

Obama também defendeu a capacidade de resposta das autoridades de saúde e chamou ” aprender com os erros” o que aconteceu no Hospital Presbiteriano de Dallas, Texas, onde as duas enfermeiras se contaminaram enquanto atendiam o Eric Duncan Thomas.

“Agora sabemos como lutar contra esta doença. Conhecemos os protocolos. Sabemos os protocolos funcionarão se forem seguidos.  Até agora, cinco americanos infectados com o Ebola, na África Ocidental foram transferidos para os Estados Unidos. Eles estão recebendo um  tratamento seguro sem infectar os que estão cuidando deles “, argumentou.

Obama, que até o momento não planeja  vetar voos para os países afetados pela doença, explicou o motivo de sua decisão que tem rendido muitas críticas da oposição republicana. “Nós simplesmente não podemos romper os laços com a África Ocidental, tentando isolar toda a região do mundo. Agindo assim, iríamos piorar ainda mais a situação, pois ficaria  mais difícil de mover suprimentos e profissionais de saúde entre as duas regiões ” , disse.

***

Saiba mais sobre o vírus ebola neste resumo